Fan Page

Conhece nossa página no facebook? Curte lá: facebook.com/igrejamaejd

31 outubro 2014

Reverendo Cloves, Cidadão Joaodouradence!


Hoje a tarde (31), dia em que se comemora o Dia dos Evangélicos em João Dourado, a Câmara Municipal de Vereadores realizou uma sessão solene de entrega de títulos a Evangélicos que fizeram e fazem a diferença em João Dourado com relevante trabalho social desempenhado. Dentre eles, o Reverendo Cloves Azevedo, pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil em João Dourado há 16 anos, e demais lideranças religiosas a saber Sr. Servino Cardos, Samuel Rosa de Oliveira, Reverendo Daniel Ramos, Reverendo Gilmar Cerqueira e Reverendo Humberto Ferreira.
Parabéns aos novos conterrâneos!



Veja abaixo o histórico dos nossos novos conterrâneos:

 Cloves de Azevedo Oliveira
Nascido no Município de Wagner – Bahia, em 09 de julho de 1964 e casado com a Srª Viviane Gonçalves Santos de Oliveira, pai de Asafe, Miquéias e Milca. Concluiu o 2º grau no curso Técnico Agrícola na Escola Agrotécnica Afrânio Peixoto, em Wagner; cursou Bacharel em Teologia no Seminário Presbiteriano do Norte, em Recife-PE (1985 – 1988). Neste período fez o curso de Licenciatura Plena em Educação Religiosa. De 1989 a 1997 exerceu o ministério pastoral na Igreja Presbiteriana em Abaíra – BA. Durante este período foi professor de Psicologia e História da Educação no Colégio Dr. Francisco Rocha Filho na mesma cidade.
Chegando em João Dourado, em fevereiro de 1998, onde foi recebido como Pastor na Igreja Presbiteriana, a qual permanece até o dia de hoje e realiza um trabalho com a Associação Presbiteriana de Ação Social e Educação, sendo o atual presidente da mesma. Associação esta que desenvolve projetos educacionais e de assistência social através da Escola Presbiteriana de Canal – EPC e o Centro Estudantil da Independência.

Servino Cardoso
Nascido no município de Tremendal – Minas Gerais, em 03 de maio de 1930 e casado com a Srª Maura Alves Cardoso, pai de três filhos. Concluiu o 2ª grau em São Paulo, onde cursou dois anos de Formação Teológica, Possui registro especial em Língua Portuguesa para 1º grau, Licenciatura em Filosofia, cursos de Letras – inglês e português. Exerceu função de professor por 30 anos.
Foi Secretário Municipal de Educação na cidade de João Dourado por 4 anos, na primeira Legislatura do Município; colaborou com a elaboração da Lei Orgânica do Município de João Dourado, sugerindo o Artigo nº 94 na integra. Elaborou os estatutos do Educandário João Dourado, hoje EPC; criou os Estatutos para funcionamento das escolas Municipais de João Dourado na primeira legislatura do Município

Samuel Rosa de Lima
Nasceu na cidade de Senhor do Bonfim – Bahia, no dia 22 de julho de 1918, filho de dona Autina Monteiro de Lima e Sr. Aurelino Rosa de Lima, casado com dona Adália Carneiro Dourado. Dessa união gerou 11 filhos. Cursou até a 7ª série no colégio Ponte Nova, na cidade de Wagner – BA.
Filho obediente e dedicado aos pais, desde muito cedo começou a trabalhar para se manter e ajudar sua família. Junto a seu pai, trabalhou no ofício de carpinteiro ajudando na construção do Internato Feminino do Colégio Ponte Nova. Foi um jovem criado na disciplina do Senhor professando a sua fé aos 18 anos na Igreja Presbiteriana de Ponte Nova com o Pastor Anderson.
Em 1940, influenciado pelos seus amigos Caetano Moreira e Ramilton Vasconcelos, veio para o povoado de Canal instalando-se na Fazenda de Serrotinho em Gameleira dos Crentes.
Em 11 de junho de 1950 foi eleito presbítero da Igreja Presbiteriana de João Dourado e, durante 15 anos, foi superintendente da Escola Bíblica Dominical.
A vida do Presbítero Samuel é marcada por sua garra, luta, determinação e, principalmente, o exemplo de honestidade. É um homem respeitado e honrado por todos.

11 outubro 2014

Conferência Missionária Infantil 2014

Teve início hoje (11/10/2014) a Conferência Missionária Infantil 2014 da Igreja Presbiteriana do Brasil em João Dourado organizada pelo Departamento Infantil. Dentre as propostas da Conferência, seu objetivo geral traz a necessidade de ensinar o verdadeiro sentido do "ide" aos pequeninos para que eles entendam a importância de fazer missões.

Com o tema "Máquina do Tempo" toda a programação é direcionada a viajar nos textos bíblicos, conhecer as histórias escritas na bíblia e aprender com elas através de atividades bastante dinâmicas com oficinas, brincadeiras, história missionária, momentos de louvor, história bíblica e, para encerramento, a direção do culto missionário amanhã a noite com toda a congregação. Os conferencistas são recebidos às 8h00 e voltam para casa às 17h30. Uma equipe de mais de 60 voluntários entre os ministérios da IPBJD está responsável pela segurança, alimentação e entretenimento dos conferencistas, que totalizaram em 162 inscritos vindos da Congregação Presbiteriana em São Gabriel, Congregação da Lindolfo Cardoso, Congregação da Independência através do projeto Abrace +, crianças do Departamento Infantil da IPBJD e ouras crianças visitantes membras da sociedade.



Enfim, a Conferência Missionária Infantil segue amanhã (11/10/2014) com muita diversão e aprendizado na "Máquina do Tempo".

02 outubro 2014

A VOCAÇÃO DO PRESBÍTERO


Estamos próximos das eleições de oficias da Igreja e como orienta a Constituição da IPB estamos instruindo a igreja sobre as funções e as qualificações para o ofício de presbítero. O texto a seguir foi extraído de um livro do Rev. Adão Caros Nascimento, pastor da IPB.
“A primeira e mais importante condição para alguém exercer o presbiterato é a vocação para este ofício. A Constituição da Igreja Presbiteriana do Brasil afirma que “a admissão a qualquer ofício depende: a) da vocação do Espírito Santo, reconhecida pela aprovação do povo de Deus” (Artigo 28)
O Dicionário Caldas Aulete define vocação como “inclinação ou talento especial para o exercício de certa profissão ou autoridade”. A Constituição da Igreja define vocação como “a chamada de Deus, pelo Espírito Santo, mediante o testemunho interno de uma boa consciência e a aprovação do povo de Deus, por intermédio de um Concílio (Artigo 108).

TRÊS NÍVEIS DA VOCAÇÃO CRISTÃ:
PRIMEIRO NÍVEL É O CHAMADO PARA SEGUIR A CRISTO – “... e nos salvou e nos chamou com santa vocação; não segundo as nossas obras, mas conforme a sua própria determinação e graça que nos foi dada em Cristo Jesus...” (2 Tm. 2:9,10).

O OUTRO NÍVEL DA VOCAÇÃO CRISTÃ É O CHAMADO PARA DIVULGAR O EVANGELHO COM A NOSSA VIDA E COM O NOSSO TESTEMUNHO (Mt.28:18-20)
O TERCEIRO NÍVEL DA VOCAÇÃO CRISTÃ É O CHAMADO PARA SERVIR AO SENHOR NO MINISTÉRIO, A SERVIÇO DOS SANTOS. (Ef.4:11-13).

A NECESSIDADE DE VOCAÇÃO PARA O MINISTÉRIO
Ninguém deve ser investido no presbiterato se não estiver convicto de que Deus o chamou para este ofício... Isto fica claro no diálogo de Paulo com os presbíteros de Éfeso, quando o apóstolo lhes disse: “Atendei por vós e por todo o rebanho sobre o qual o Espírito Santo vos constituiu bispos, para pastoreardes a Igreja de Deus, a qual ele comprou com o seu próprio sangue” (At.20:28). Qualquer que tenha sido o processo usado para colocar aqueles homens na liderança da Igreja de Éfeso, a ação humana foi apenas o instrumento que o Espírito Santo usou para manifestar a sua escolha.

ELEIÇÃO E ORDENAÇÃO
A Constituição define o presbítero regente como “o representante imediato do povo, por este eleito e ordenado pelo Conselho”. A eleição do presbítero pela igreja, em condições normais, indica que ele foi vocacionado por Deus para serví-lo neste ofício. E a ordenação o habilita para o exercício deste ministério – “A eleição feita pela Igreja, deve ser vista como um reconhecimento público e evidência de que os referidos oficiais foram escolhidos, vocacionados e capacitados por Deus para determinado ofício. Por isso, a Igreja deve buscar a orientação de Deus com fé e submissão, certa de que Deus também manifesta a sua vontade através do Conselho e da Assembléia” (Extraído do livro PAZ NAS ESTRELAS, autoria do Rev. Adão Carlos Nascimento) 

06 setembro 2014

IX ADORAI - Uma Declaração ao Nosso Deus


Senhor, teu Evangelho tem se estendido e avançado por grande parte da terra. Nos dias de hoje, os tempos bíblicos, todos os homens tem sido, convocados a renderem-se em prostração diante de Ti, reconhecendo-te como o único Deus Salvador de toda a terra...

...No entanto, é fato, que a esmagadora maioria tem rejeitado ao Senhor e ao invés de encurvarem-se ao teu senhorio, tem se prostrado diante de sua autossuficiência e autoconfiança; diante de outros deuses que tem boca, mas não falam, tem olhos mas não veem, tem nariz, mas não cheiram, tem mãos, mas não apalpam e som nenhum sai das suas gargantas. Tem se voltado  para o sol, a lua adorando a natureza como sendo o único objeto de seu louvor. Não reconhecem a sua grandeza, poder, soberania, domínio e majestade.

Senhor os teus olhos vigiam as nações. Tu te inclinas do seu tronco de sua gloria para ver o que se passa na terra. Os feitos dos homens não fogem às tuas vistas. Diante dos seus olhos estão as barbaridades que  muitos estão fazendo pela dureza dos seus corações e a ausência da sua grandiosa presença; onde pessoas estão sendo mortas, decapitadas em favor de outros deuses, crianças sacrificadas em altares consagrados a satanás. Quantos profetas e missionários   teus foram no decorrer da história e estão sendo nos dias de hoje, perseguidos e mortos e tantos lugares da terra.

Em toda a parte a homens e mulheres, adultos, jovens, adolescentes e crianças escravizadas pelo pecado, vivendo de baixo de um sistema maligno contrário a tua palavra, entregues a toda sorte e impureza, cometendo torpezas e rebeldia contra ti tem sido levadas a muitas tribulações e tragédias. Ignoram a parte mais elevada do ser humano, o espírito; ignoram a vida futura e vivem somente para este mundo presente. Ignoram o Eterno sendo surdos quanto às suas advertências, rejeitam a ti Deus, e sua dádiva graciosa de libertação e salvação. Esses caminham a passos largos para a perdição eterna.

Nós, porem, Senhor, estamos aqui, convocados pela tua palavra no Salmos 66:4 para fazermos uma celebração a ti. Nessas 24 horas de Adoração ininterrupta com cânticos, brados de jubilo e gratidão aclamaremos  a Glória do Teu nome. como o povo de Israel fazia questão de trazer a memória os efeitos sobrenaturais do Senhor abrindo o Mar vermelho para que eles escapassem da escravidão do Egito, e dividindo o rio Jordão para que entrassem na espaçosa terra prometida, a terra de Canaã; nós também celebramos a nossa libertação, pois outrora escravos, estávamos mortos nos nossos delitos e pecados. Mas em Cristo, o Senhor nos resgatou das trevas, escreveu o nosso nome no Livro da vida do cordeiro e nos colocará na Nova Canaã, a cidade eterna do Senhor, onde cantaremos o cântico do cordeiro dizendo:Ap. 15:3 e 4.

Reconhecemos que o Senhor Deus que se revelou a Israel e que se revelou a  nós também é o único Deus, e deve ser adorado por todos os homens da terra. E ainda que muitos tem rejeitado a adoração a ti Senhor, sabemos que tu és o nosso e o único Deus, que reges a tudo e a todos, em grandeza e glória; e finalmente, a todos terão que submeterem-se a  Ti. como esta escrito em Fp 2:9 - 11. 

Grandes e admiráveis são as tuas obras, Senhor Deus, todo poderoso ! Justos e verdadeiros são os teus caminhos, ó rei das nações !

Quem não temerá e não glorificará o teu nome, o Senhor ? Pois só tu és santo; por isso, todas as nações virão e adorarão diante de ti, porque os teus atos de justiça se fizeram manifestos.

Pelo o que também Deus o exaltou sobremaneira e lhe deu o nome que esta acima de todo nome, para que ao nome de Jesus se dobre todo o joelho, nos céus, na terra e debaixo da terra, e toda língua confesse que Jesus Cristo é o Senhor, para a glória de Deus pai.

02 setembro 2014

Quando o Culto se Torna um Lamento

O período dos juízes em Israel foi um período de anarquia, liberalismo, afastamento de Deus. Mas Deus na sua misericórdia sempre levantava um Libertador. Israel estava em conflito com os filisteus (I Samuel 4). Depois de uma primeira derrota onde morreram cerca de quatro mil homens (I Sm.4:1-2), Israel, de comum acordo, pediu que fosse trazida a Arca, sinal da presença de Deus que estava em Siló. Eles acreditavam que a presença da Arca significava vitória para Israel. A arca então foi trazida para o meio do povo (I Sm. 4:4). A chegada da arca no arraial de Israel gerou grande euforia. A agitação, os gritos ecoavam tão longe a ponto de causar temor nos filisteus quando souberam que a Arca do Senhor estava no arraial de Israel (I Sm. 4:5-7). 

Embora a celebração antecipada de vitórias e derrotas da sua história: Trinta mil homens foram mortos(v.10), a arca foi tomada(v.11) e Hofni e Finéias, filhos do Sacerdote Eli foram mortos do povo por causa da Arca da Aliança entre eles. Israel, naquela batalha, sofreu uma das maiores derrotas cumprindo assim uma profecia contra a casa de Eli em I Sm. 2: 27-34; Eli ao receber a notícia da Arca de Deus e da morte dos seus dois filhos, já velho e debilitado, caiu de uma cadeira e morreu (4:18); a mulher de Finéias estava grávida e chocada com a notícia da morte do seu marido, teve um parto pré-maturo e o menino que nasceu recebeu o nome de ICABODE (4:19-22), cujo significado representava a realidade espiritual daquele nação: “Foi-se a glória de Israel”.

      Era o lamento e tristeza de um povo que perdeu a glória de Deus, a presença de Deus, porque não serviu a Deus com temor. Paradigmas da Palavra de Deus foram quebrados; confundiram religiosidade com santidade, sacrifícios com obediência. Lá estava o símbolo da presença de Deus, mas a realidade da presença de Deus não estava mais com o povo porque os sacerdotes eram promíscuos. Se não há reverência e santo temor a Deus nos nossos cultos e na vida diária, resta-nos “Icabode”, tristeza, lamento e vexame público.

      Estamos na contagem regressiva para o IX ADORAI. Que seja este um tempo de consagração, quebrantamento de coração e muito temor na presença de Deus para que desfrutemos da gloriosa presença de Deus nestes dias. Que este não seja um tempo de lamento e vazio da Glória de Deus, mas ao contrario, possamos ser cheios da Sua Glória! Amém.

Rev. Cloves Azevedo de Oliveira 

O Desafio da Fidelidade nos Dízimos e nas Ofertas

“... Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa; e provai-me nisto, diz o Senhor dos Exér“... Trazei todos os dízimos à casa do tesouro, para que haja mantimento na minha casa; e provai-me nisto, diz o Senhor dos Exércitos, se eu não vos abrir as janelas do céus e não derramar sobre vós bênção sem medida...” (Mal 3: 8-12)


      Uma Igreja para manter-se estável, saudável e progredir necessita de algumas coisas. Primeiro, o poder para crescer vem de Deus. É Deus quem dá o crescimento. Mas nós os crentes precisamos de compromisso com a oração, com a Palavra de Deus, com o testemunho cristão e com a Evangelização. Em qualquer Igreja que almeja servir ao Senhor de forma comprometida será assim. Mas também é verdade que a manutenção da obra de Deus e o avanço na evangelística e missões por parte da  Igreja passa necessariamente pelo zelo dos seus membros na entrega regular dos dízimos e das ofertas.

      Almejamos ser uma Igreja fiel e comprometida com a santidade, com o temor ao Senhor, com a fidelidade a Deus e também com os compromissos que temos assumido com os obreiros, os funcionários, o presbitério, o Supremo Concílio da Igreja Presbiteriana do Brasil e ainda com a nossa estrutura interna dos departamentos, ministérios e com construções e reformas. Cada membro da Igreja ao assumir publicamente a sua fé em Cristo e a decisão voluntária de tornar-se membro da Igreja local, assume também o compromisso de contribuir com fidelidade para as causas da Igreja que envolve tudo isso que falamos acima e muitos outras necessidades de Beneficência, Missões e Evangelização.

      Assim, venho em nome do Senhor da Igreja, embasado na Autoridade da Sua Palavra, alertar, exortar e admoestar a todos os irmãos quanto ao zelo, diligência e fidelidade nos dízimos. Entregue os seus dízimos e ofertas com regularidade para que a Igreja mantenha os seus compromissos atualizados e possa avançar conquistando muito para a Glória de Deus. Não espere o bom tempo, a fartura, o dinheiro sobrar. Dízimo é primícias, é uma prioridade nos nossos compromissos financeiros (Pv.3:9-10). Portanto, seja fiel a Deus.

      Como  devemos proceder? Dos nossos ganhos, devemos separar a décima parte (dízimo) e dedicar ao Senhor numa atitude de zelo, fidelidade e amor a Deus e à Sua Igreja. Pedimos aos irmãos que faça isso com muito cuidado. Pegue junto aos diáconos um envelope; em cada envelope tem um papel onde você deve preencher o seu nome,  o valor que está sendo entregue, a data e o tipo de contribuição. Tudo isso é importante você fazer para a boa ordem da administração da Igreja. Estes papéis são guardados em sigilo pela tesouraria da Igreja para uma eventual necessidade de conferência dos valores entregues. No final do ano você pode requerer, se desejar estes papéis para conferência da sua contribuição anual. Pedimos aos irmãos que proceda assim. O Conselho da Igreja administra todos os recursos da Igreja com muito zelo e transparência, pois tudo é feito para honrar e glorificar o nome do Senhor. Se você por alguma razão parou de dizimar, ou mesmo nem começou ainda, não continue quebrando este princípio estabelecido por Deus. Comece de imediato a entregar os teus dízimos com fidelidade na casa de Deus. Deus promete derramar sobre todos os que são fiéis bênçãos sem medida.

Rev. Cloves Azevedo de Oliveira

13 agosto 2014

ADORAI 2014

Já estamos em contagem regressiva para o ADORAI 2014 que acontecerá no dia 06 de Setembro, no novo templo da Igreja Presbiteriana do Brasil em João Dourado. O ADORAI é  um evento que reúne grupos de louvor da região formando 24 horas de adoração contínua, sem interrupção. São momentos de adoração com música, dança, clamor, pregação da palavra e comunhão.


Caso deseje participar com o ministério de louvor da sua igreja entre em contato conosco pelos números expostos no cartaz acima.

AINDA TEMOS MUITA TERRA PARA CONQUISTAR!



“Disse Josué aos filhos de Israel: Até quando sereis remissos em passardes para possuir a terra que o Senhor, Deus de vossos pais, vou deu?” (Js.18:3)

O povo de Deus já havia chegado em Canaã e conquistado a terra. Josué conforme determinação de Moisés fez a divisão da terra entre as doze tribos de Israel. As batalhas mais difíceis já haviam sido vencidas, mas o povo se acomodou e não expulsou todos os inimigos conforme o Senhor havia ordenado e passaram a conviver com aqueles povos a troco de uma boa convivência e dos impostos que recebiam daquelas nações que tornaram-se escravas.
O Senhor  disse Josué: “Já estás velho, entrado em dias e ainda muitíssima terra ficou para se possuir” (Js.13:1) e Josué percebendo a acomodação do povo nas batalhas ainda restante para fazer tudo conforme Deus havia determinado, repreendeu aquela atitude dizendo ao povo que não podia ser remisso, vagaroso, negligente na obra de Deus.
Assim como em Israel as principais triunfou sobre os seus inimigos, quebrou todas as fortalezas de Satanás através da Sua morte e Ressurreição, mas de igual modo ordena a nós cristãos a diligência, o esforço, a determinação em tomar posse pela fé das Suas promessas. Nós já avançamos em muitas frentes, já realizamos muitas coisas para Deus, mas ainda temos  muita terra para conquistar, muitas almas para ganhar. Nós não podemos fazer alianças com quem Deus não tem aliança com Deus, nem negociar a vontade de Deus a custo de tranqüilidade e interesses materiais. Os cuidados deste mundo, a fascinação pelas coisas materiais tem impedindo-nos como igreja de Cristo neste sertão de avançar e conquistar bairros, povoados e cidades desta região. O avanço das trevas, a demarcação de territórios pelos agentes do mal e mensageiros da violência e da maldade que tem dominado bairros e cidades inteiras deixando as cidades em desespero, destruindo o futuro das nossas famílias, cidades e nação se dá em grande parte pela nossa omissão, preguiça e indiferença com a grande comissão: “...Ide, fazei discípulos de todas as nações...” (Mt.28:18-20). O Apóstolo Paulo escrevendo aos romanos traz a mesma mensagem de Josué a Israel no combate à preguiça espiritual: “No zelo não sejais remissos (vagarosos, descuidados). Sede fervorosos de espírito servindo ao Senhor” (Rm.12:11). 

Avante Igreja. Vamos tomar posse da terra que Deus nos deu. Vamos conquistar João Dourado para Jesus!

                    Rev. Cloves Azevedo de Oliveira