Fan Page

Conhece nossa página no facebook? Curte lá: facebook.com/igrejamaejd

08 dezembro 2014

Agenda Especial para o mês de Dezembro


Aos membros da Igreja Presbiteriana do Brasil em João Dourado, informamos os eventos além da rotina da IPBJD que acontecerão no mês de dezembro e pedimos atenção aos amados para que participem com atenção especial à Reunião Ordinária do Presbitério de João Dourado, que acontecerá nos dias 19,020 e 21, na IPB Betel, e deve ter relatórios e participação ativa de todos os departamentos da IPBJD.


INTEGRIDADE!


Estamos elegendo nossos líderes nestes dias! Sabemos da grave crise de integridade que vive a nossa nação e não podemos negar o fato de que esta crise atinge também a liderança evangélica brasileira. Quero aproveitar o momento dedicar a nossa reflexão do boletim esta semana falando sobre o tema, numa abordagem baseada no capítulo do livro de J.C. Maxwell – DESENVOLVA SUA LIDERANÇA.

“O dicionário define integridade como “o estado de ser completo, uno”. Se tenho integridade, minhas palavras e minhas ações se entrosam. Sou quem sou, não importa onde me encontre ou com quem esteja.

          Infelizmente, integridade é um artigo em extinção nos dias de hoje. Os padrões pessoais estão desmoronando num mundo engajado numa perseguição sem tréguas ao prazer pessoal, enveredando por atalhos para alcançar o sucesso a qualquer preço. Num formulário de pedido de emprego uma das perguntas era: “Já foi preso alguma vez”? O candidato escreveu NÃO em letra de fôrma no espaço correspondente. A pergunta seguinte era feita em função da resposta à pergunta anterior. Indagava: “Por quê?”. Não se dando conta de que não tinha que responde-la, o candidato “honesto” mas sem dúvida ingênua, sapecou: “Acho que é porque nunca me pegaram”.

Uma pessoa íntegra não admite lealdades divididas (isso é duplicidade), nem simplesmente faz de conta (isso é hipocrisia). Pessoas íntegras são pessoas ‘inteiras’; elas são identificadas por sua coerência de propósitos. Pessoas íntegras não tem nada a esconder e nada a temer. Suas vidas são livros abertos... A integridade não é tanto o que fazemos mas o que somos. E o que somos, por sua vez, determina o que fazemos... O que as pessoas precisam não é de um slogan para repetir, mas de um modelo para ver”.

Que o nosso Deus derrame Graça e Unção sobre nós líderes da Sua Igreja para que sejamos um modelo para o rebanho que Ele colocou sob os nossos cuidados.

     Rev. Cloves Azevedo de Oliveira

SILÊNCIO NO TRIBUNAL! DESTA FEITA O DENUNCIANTE É O PRÓPRIO DEUS!


“Ouvi a palavra do Senhor, vós, filhos de Israel, porque o Senhor 
tem uma contenda com os habitantes da terra, porque nela não
há verdade, nem amor, nem conhecimento de Deus” (Os.4:1).

      Estudei com a igreja na última quinta feira o capítulo 4 do Profeta Oseías. Para mim foi como descortinar diante dos meus olhos a sublime revelação da parte de Deus sobre um assunto da última hora: corrupção! No texto de Oseías Deus assume o papel desta feita de um promotor e reverberar em alto e bom som a sua denúncia: Na terra não há verdade, nem amor, nem o conhecimento de Deus. Estas palavras retratam a realidade do mundo pós-moderno, embora foram pronunciadas oito séculos a.C. Falta em nossos dias honestidade, pessoas confiáveis! Impera o relativismo ético e moral. Não há amor leal, fidelidade às alianças da parte do povo para com Deus, e o mais sério, falta o verdadeiro conhecimento de Deus!
      Porque os homens não conhecem a Deus e D'Ele estão separados, desencadeia terríveis conseqüências sobre a sociedade: "O que prevalece é perjurar, mentir, matar, furtar e adulterar..." (Os.4:2). Ha três graves maldições que empurram a nossa nação para o abismo: Corrupção, Drogas e Imoralidade, que oportunamente falarei sobre elas.
O texto aponta-nos resposta para algumas questões importantes e elucidativas da crise: Qual a principal causa da decadência da nação de
Israel  (qual a principal causa da decadência do Brasil que envergonha a todos nós?) R: "O meu povo está sendo destruído porque lhe falta o conhecimento
"(Os.4:6). Que conhecimento? "... Conhecimento de Deus (Os.4:1). Mas, de quem é a culpa quando falta ao povo o verdadeiro conhecimento de Deus e da Sua Palavra? Dos sacerdotes, dos líderes espirituais da nação (Os.4:6) - Deus denúncia que os sacerdotes negligenciaram a Sua Palavra, por isso Ele os rejeitava. 
      Os sacerdotes de Israel era mau exemplo para o povo. Veja como isso é verdade no que diz o verso 7: "Quanto mais se multiplicaram o número de sacerdotes, mais eles pecaram contra a minha pessoa". Que verdade estonteante! No Brasil temos milhares e milhares de sacerdotes, talvez milhões, mas o pecado do povo se multiplica. Por que isso? Falta sacerdotes, profetas, pastores comprometidos com o ensino da Palavra ao povo. Pior ainda, "Alimentam-se do pecado do meu povo"(v.8). Quanto mais gente ofertando, dizimando, fazendo votos, mais os sacerdotes se "alimentam", ou melhor, alimentam suas contas. Neste caso, confrontar o pecado é contraproducente para os interesses da classe sacerdotal corrupta.
      O que fazer? Não espere muito dos poderes constituídos. Salve-se as exceções, uma grande parte destes está comprometida com o sistema corrupto, ou é cúmplice dele. Duas dicas eficazes e talvez as únicas verdadeiramente eficazes para mudar as fotografias da nação corrupta estampada na capa de todos os jornais e revistas: PREGAR A PALAVRA, ENSINÁ-LA A TODO TEMPO, EM TODO LUGAR, PORQUE É A UNICA MENSAGEM PODEROSA PARA REGULAR A CONDUTA HUMANA CORROMPIDA E DEPRAVADA. A OUTRA DICA É: CONVERSÃO SINCERA A DEUS. Não dá para se esperar mudanças profundas de um povo que brinca de religião, que diz que ama a Deus, mas o amor é interesseiro e passageiro como a nuvem (Os. 6:1-6).
ENQUANTO O EXECUTIVO, O LEGISLATIVO E O JUDICIÁRIO DESTE PAÍS ESTIVEREM DE MÃOS DADAS NO COMBATE À PALAVRA DE DEUS. ENQUANTO TRABALHAREM PARA TIRAR A BÍBLIA DA ESCOLA, DOS CENTROS DE RECUPERAÇÃO, DOS PRESÍDIOS E PRINCIPALMENTE DAS FAMÍLIAS, O PAÍS CONTINUARÁ DESCENDO UM ABISMO PROFUNDO DE CORRUPÇÃO SEM QUALQUER POSSIBILIDADE DE RESTAURAÇÃO. ENQUANTO SACERDOTES CORRUPTOS CONTINUAREM NEGLIGENCIANDO A PALAVRA E SE ALIMENTANDO DO PECADO DO POVO, NÃO HAVERÁ VERDADEIRO AVIVAMENTO NESTA NAÇÃO.
DEUS TENHA MISERICÓRDIA DE NÓS E DA NOSSA NAÇÃO!

   Rev. Cloves Azevedo de Oliveira

NÃO DESISTIR DA LABUTA MESMO EM TEMPOS DIFÍCEIS!


       Num combate destemido aos falos apóstolos que havia se infiltrado na Igreja em Corinto corrompendo a pureza e a simplicidade devidas ao Evangelho e num enfrentamento direto aos oportunistas que tentavam difamar e desconstruir a   sua própria integridade ministerial, o Apóstolo Paulo na sua segunda carta aos coríntios desafia os verdadeiros cristãos a não desistirem da luta em prol do Evangelho por causa das dificuldades, dos falsos obreiros que de forma hipócrita adulteravam a Palavra de Deus para atender aos seus interesses egoístas.
      Depois de afirmar que nós somos servos, mensageiros de Cristo e não de nós mesmos, o Apóstolo afirma a nossa insuficiência e fragilidade ao afirmar que somos vasos de barro, e, embora sendo vasos insignificantes, temos o privilégio de carregar em nós as riquezas, os tesouros inesgotáveis do Evangelho (II Co.4:7), a fim de entendermos que na nossa insignificância e fragilidade Deus revela a nós a sua Suficiência e Poder excelente a fim de que não haja em nós motivos para vã glória.

      No texto o Apóstolo apresenta quatro contrastes da vida cristã que confirmam a fraqueza humana sustentada pelo poder transcendental do nosso Deus: “Em tudo SOMOS ATRIBULADOS (afligidos, oprimidos, pressionados), MAS NÃO ANGUSTIADOS  (comprimidos num lugar apertado, fechados num beco sem saída). Ou seja, apesar das pressões que nos afligem, há sempre uma saída, um escape da parte de Deus para nós (I Co.10:13).Ficamos PERPLEXOS( duvidosos, desorientados, ameaçados), mas NÃO DESANIMADOS( desestimulados a ponto de desistir), porque sabemos que nos momentos que não sabemos o que fazer, Deus sabe e controla a situação(II Co.1:8-10). PERSEGUIDOS (caçados, expulsos, excluídos da sociedade), MAS NÃO DESAMPARADOS (esquecidos, abandonados). Apesar da oposição ferrenha e cruel do mundo o Senhor nunca vai nos deixar para trás(II Tm.4:17).ABATIDOS(lançados por terra, golpeados pelo adversário), MAS NÃO DESTRUIDOS. Apesar dos golpes violentos que muitas vezes nos joga no chão, jamais sofreremos o golpe mortal, porque Deus em Cristo sempre nos conduz em triunfo (II Co.2:14).
      Assim sendo irmãos, não vamos fazer corpo mole, nem perder a coragem! O Senhor que por sua Graça e Misericórdia nos atraiu para Ele, também nos habilitará e nos revestirá com o Poder Extraordinário para triunfar em meio às adversidades. Não desfaleceremos porque na nossa insuficiência humana Deus é a nossa Suficiência. Não desistimos de labutar mesmo e apesar das nossas crises pessoais e das crises à nossa volta porque jamais enfrentamos as tribulações sozinhos. O Senhor dos Exércitos está conosco sempre (Sl.23; 27). Não vamos parar de combater o bom combate porque as tribulações que enfrentamos neste mundo, embora às vezes pesadas e desesperadoras, não se comparam com o futuro glorioso que pela fé contemplamos na Glória Eterna que será revelada a nós (II Co.4:16-18). Deus nos abençõe!

Rev. Cloves Azevedo de Oliveira

QUEM ESTÁ DISPOSTO A LUTAR PELAS CRIANÇAS?



“Com lágrimas se consumiram os meus olhos, turbada está a minha alma, e o meu coração se derramou de angústia por causa da calamidade da filha do meu povo; pois desfalecem os meninos e as crianças de peito pelas ruas da cidade” (Lm.2:11).


    De toda a maldade humana no mundo, as principais vítimas sempre foram e continuam sendo as crianças. Vítimas das guerras e conflitos; vítimas dos homens maus e violentos; vítimas do extremismo e do radicalismo religioso e político que as priva da liberdade e do direito de viver dignamente; vítimas do terrorismo de grupos radicais como o Estado Islâmico no Iraque e na Síria que de forma cruel exterminam  crianças inocentes; vítimas dos pedófilos que as atraem e as violentam sexualmente deixando marcas inapagáveis em suas memórias infantis que as perturbarão pelo resto das vidas; vítimas em muitos casos da violência doméstica e de maus tratos de seus próprios genitores; vítimas da injustiça social que às condenam a uma vida sub-humana, privando-as do sagrado direito ao pão de cada dia, da saúde, educação, esporte e lazer; vítimas do que  sistema opressor das drogas e do aliciamento do tráfico que as usa como agentes de morte e de violência na sociedade, e, ainda as tornam agentes da sua própria destruição; vítimas da promiscuidade sexual e da pornografia que as atraem sutilmente para um caminho de depravação e liberalismo; vítimas inocentes da insanidade dos que covardemente interrompem suas existências ainda no ventre materno através do aborto; vítimas dos programas de televisão que as induz à rebeldia, à maldade, à violência e à promiscuidade sexual.
     Nossas crianças necessitam de uma rede de proteção contra os males deste mundo cruel e a Igreja de Cristo deve ser a principal agência em defesa dos pequeninos que ainda não tem discernimento entre o bem e o mal. Nesta matéria, os pais são os principais responsáveis, porque a Palavra de Deus ordena: “Ensina a criança (Pv.22:6) e diz como isto tem que ser feito de forma didática e sistemática no ambiente familiar de boa convivência entre os pais e seus filhos (Dt.6: 4-9). Infelizmente os professores dos nossos filhos hoje são a TV e a Internet! Os valores eternos estão em processo de desconstrução a partir dos nossos lares onde os pais não lêem mais a Bíblia, nem ensina aos filhos as verdades eternas. A maioria dos pais não realizam mais os cultos domésticos e nem trazem as crianças à Igreja para adorar ao Senhor.Os filhos tem celulares de última geração, mas não tem uma Bíblia para trazerem para a Igreja.
     Jesus se levantou em defesa dos direitos das crianças e as protegeu do preconceito, da discriminação e do desrespeito dos que as excluíam como seres sem valor – “Deixai vir a mim os pequeninos, não os embaraceis, porque dos tais são o Reino dos céus” ( Mt.19:14). Sigamos as pegadas do nosso Mestre e trabalhemos com amor em prol das nossas crianças. A Conferência Missionária Infantil realizada pelo Departamento Infantil da nossa Igreja com o apoio da nossa UCP (União de Crianças Presbiterianas) é um exemplo de zelo e amor pela salvação das nossas crianças. Mas, também é um marco de despertamento da consciência infantil para orar, contribuir e participar da obra missionária no mundo. Acender no coração das nossas crianças a chama missionária fará grande diferença em suas vidas e causará grande impacto no futuro da Igreja.
     Oremos fervorosamente e lutemos pela proteção e pela salvação das nossas crianças.

                   Rev. Cloves Azevedo de Oliveira

31 outubro 2014

Reverendo Cloves, Cidadão Joaodouradence!


Hoje a tarde (31), dia em que se comemora o Dia dos Evangélicos em João Dourado, a Câmara Municipal de Vereadores realizou uma sessão solene de entrega de títulos a Evangélicos que fizeram e fazem a diferença em João Dourado com relevante trabalho social desempenhado. Dentre eles, o Reverendo Cloves Azevedo, pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil em João Dourado há 16 anos, e demais lideranças religiosas a saber Sr. Servino Cardos, Samuel Rosa de Oliveira, Reverendo Daniel Ramos, Reverendo Gilmar Cerqueira e Reverendo Humberto Ferreira.
Parabéns aos novos conterrâneos!



Veja abaixo o histórico dos nossos novos conterrâneos:

 Cloves de Azevedo Oliveira
Nascido no Município de Wagner – Bahia, em 09 de julho de 1964 e casado com a Srª Viviane Gonçalves Santos de Oliveira, pai de Asafe, Miquéias e Milca. Concluiu o 2º grau no curso Técnico Agrícola na Escola Agrotécnica Afrânio Peixoto, em Wagner; cursou Bacharel em Teologia no Seminário Presbiteriano do Norte, em Recife-PE (1985 – 1988). Neste período fez o curso de Licenciatura Plena em Educação Religiosa. De 1989 a 1997 exerceu o ministério pastoral na Igreja Presbiteriana em Abaíra – BA. Durante este período foi professor de Psicologia e História da Educação no Colégio Dr. Francisco Rocha Filho na mesma cidade.
Chegando em João Dourado, em fevereiro de 1998, onde foi recebido como Pastor na Igreja Presbiteriana, a qual permanece até o dia de hoje e realiza um trabalho com a Associação Presbiteriana de Ação Social e Educação, sendo o atual presidente da mesma. Associação esta que desenvolve projetos educacionais e de assistência social através da Escola Presbiteriana de Canal – EPC e o Centro Estudantil da Independência.

Servino Cardoso
Nascido no município de Tremendal – Minas Gerais, em 03 de maio de 1930 e casado com a Srª Maura Alves Cardoso, pai de três filhos. Concluiu o 2ª grau em São Paulo, onde cursou dois anos de Formação Teológica, Possui registro especial em Língua Portuguesa para 1º grau, Licenciatura em Filosofia, cursos de Letras – inglês e português. Exerceu função de professor por 30 anos.
Foi Secretário Municipal de Educação na cidade de João Dourado por 4 anos, na primeira Legislatura do Município; colaborou com a elaboração da Lei Orgânica do Município de João Dourado, sugerindo o Artigo nº 94 na integra. Elaborou os estatutos do Educandário João Dourado, hoje EPC; criou os Estatutos para funcionamento das escolas Municipais de João Dourado na primeira legislatura do Município

Samuel Rosa de Lima
Nasceu na cidade de Senhor do Bonfim – Bahia, no dia 22 de julho de 1918, filho de dona Autina Monteiro de Lima e Sr. Aurelino Rosa de Lima, casado com dona Adália Carneiro Dourado. Dessa união gerou 11 filhos. Cursou até a 7ª série no colégio Ponte Nova, na cidade de Wagner – BA.
Filho obediente e dedicado aos pais, desde muito cedo começou a trabalhar para se manter e ajudar sua família. Junto a seu pai, trabalhou no ofício de carpinteiro ajudando na construção do Internato Feminino do Colégio Ponte Nova. Foi um jovem criado na disciplina do Senhor professando a sua fé aos 18 anos na Igreja Presbiteriana de Ponte Nova com o Pastor Anderson.
Em 1940, influenciado pelos seus amigos Caetano Moreira e Ramilton Vasconcelos, veio para o povoado de Canal instalando-se na Fazenda de Serrotinho em Gameleira dos Crentes.
Em 11 de junho de 1950 foi eleito presbítero da Igreja Presbiteriana de João Dourado e, durante 15 anos, foi superintendente da Escola Bíblica Dominical.
A vida do Presbítero Samuel é marcada por sua garra, luta, determinação e, principalmente, o exemplo de honestidade. É um homem respeitado e honrado por todos.

11 outubro 2014

Conferência Missionária Infantil 2014

Teve início hoje (11/10/2014) a Conferência Missionária Infantil 2014 da Igreja Presbiteriana do Brasil em João Dourado organizada pelo Departamento Infantil. Dentre as propostas da Conferência, seu objetivo geral traz a necessidade de ensinar o verdadeiro sentido do "ide" aos pequeninos para que eles entendam a importância de fazer missões.

Com o tema "Máquina do Tempo" toda a programação é direcionada a viajar nos textos bíblicos, conhecer as histórias escritas na bíblia e aprender com elas através de atividades bastante dinâmicas com oficinas, brincadeiras, história missionária, momentos de louvor, história bíblica e, para encerramento, a direção do culto missionário amanhã a noite com toda a congregação. Os conferencistas são recebidos às 8h00 e voltam para casa às 17h30. Uma equipe de mais de 60 voluntários entre os ministérios da IPBJD está responsável pela segurança, alimentação e entretenimento dos conferencistas, que totalizaram em 162 inscritos vindos da Congregação Presbiteriana em São Gabriel, Congregação da Lindolfo Cardoso, Congregação da Independência através do projeto Abrace +, crianças do Departamento Infantil da IPBJD e ouras crianças visitantes membras da sociedade.



Enfim, a Conferência Missionária Infantil segue amanhã (11/10/2014) com muita diversão e aprendizado na "Máquina do Tempo".

02 outubro 2014

A VOCAÇÃO DO PRESBÍTERO


Estamos próximos das eleições de oficias da Igreja e como orienta a Constituição da IPB estamos instruindo a igreja sobre as funções e as qualificações para o ofício de presbítero. O texto a seguir foi extraído de um livro do Rev. Adão Caros Nascimento, pastor da IPB.
“A primeira e mais importante condição para alguém exercer o presbiterato é a vocação para este ofício. A Constituição da Igreja Presbiteriana do Brasil afirma que “a admissão a qualquer ofício depende: a) da vocação do Espírito Santo, reconhecida pela aprovação do povo de Deus” (Artigo 28)
O Dicionário Caldas Aulete define vocação como “inclinação ou talento especial para o exercício de certa profissão ou autoridade”. A Constituição da Igreja define vocação como “a chamada de Deus, pelo Espírito Santo, mediante o testemunho interno de uma boa consciência e a aprovação do povo de Deus, por intermédio de um Concílio (Artigo 108).

TRÊS NÍVEIS DA VOCAÇÃO CRISTÃ:
PRIMEIRO NÍVEL É O CHAMADO PARA SEGUIR A CRISTO – “... e nos salvou e nos chamou com santa vocação; não segundo as nossas obras, mas conforme a sua própria determinação e graça que nos foi dada em Cristo Jesus...” (2 Tm. 2:9,10).

O OUTRO NÍVEL DA VOCAÇÃO CRISTÃ É O CHAMADO PARA DIVULGAR O EVANGELHO COM A NOSSA VIDA E COM O NOSSO TESTEMUNHO (Mt.28:18-20)
O TERCEIRO NÍVEL DA VOCAÇÃO CRISTÃ É O CHAMADO PARA SERVIR AO SENHOR NO MINISTÉRIO, A SERVIÇO DOS SANTOS. (Ef.4:11-13).

A NECESSIDADE DE VOCAÇÃO PARA O MINISTÉRIO
Ninguém deve ser investido no presbiterato se não estiver convicto de que Deus o chamou para este ofício... Isto fica claro no diálogo de Paulo com os presbíteros de Éfeso, quando o apóstolo lhes disse: “Atendei por vós e por todo o rebanho sobre o qual o Espírito Santo vos constituiu bispos, para pastoreardes a Igreja de Deus, a qual ele comprou com o seu próprio sangue” (At.20:28). Qualquer que tenha sido o processo usado para colocar aqueles homens na liderança da Igreja de Éfeso, a ação humana foi apenas o instrumento que o Espírito Santo usou para manifestar a sua escolha.

ELEIÇÃO E ORDENAÇÃO
A Constituição define o presbítero regente como “o representante imediato do povo, por este eleito e ordenado pelo Conselho”. A eleição do presbítero pela igreja, em condições normais, indica que ele foi vocacionado por Deus para serví-lo neste ofício. E a ordenação o habilita para o exercício deste ministério – “A eleição feita pela Igreja, deve ser vista como um reconhecimento público e evidência de que os referidos oficiais foram escolhidos, vocacionados e capacitados por Deus para determinado ofício. Por isso, a Igreja deve buscar a orientação de Deus com fé e submissão, certa de que Deus também manifesta a sua vontade através do Conselho e da Assembléia” (Extraído do livro PAZ NAS ESTRELAS, autoria do Rev. Adão Carlos Nascimento)